Prefeitura de Jequié divulga nota em meio a polêmica da mochila - Camaçari Aquitem - O seu portal de notícias de Camaçari e RMS

Header Ads

Prefeitura de Jequié divulga nota em meio a polêmica da mochila


A prefeitura de Jequié, no Sudoeste do estado, parece não ter gostado nem um pouco da repercussão de imagens que mostram crianças quase do mesmo tamanho da mochila que carregam, e que rendeu piadas nas redes sociais nesta terça-feira (9). Em nota, a assessoria da Secretaria de Educação do município, que começou a distribuir o kit escolar na semana passada, afirmou que a sacola entregue deveria ser levada pelos pais das crianças, e questionou o papel dos responsáveis no transporte dos materiais escolares. Informações do Correio*
“Voltando ao tamanho da sacola, se é que alguns acham isso o mais importante, segundo o Ministério da Saúde, uma criança não pode carregar mais que 10% do seu peso. Sendo assim, parece que não tem como entregar a uma criança de creche uma mochila com tamanho ideal. Acreditamos que crianças de creche, tradicionalmente, não podem e não devem carregar suas mochilas que às vezes contém roupa, toalha, fralda, merenda, etc. Ou será que estas pessoas querem afirmar que os pais de hoje não estão servindo nem pra carregar a mochila de seus filhos?”, comentou a escola.
A prefeitura ainda destaca a economia feita na aquisição do material, alvo de chacotas. “Pela utilidade de uso, as mochilas compradas pelo município, ao valor de R$ 11,40, parece que o quesito economicidade e contemplação ficaram de lado, dando espaço a outros interesses”, afirma.
Recepção
A entrega do material faz parte do pacote de fardamento de quase 18 mil alunos da rede pública de ensino do município. Segundo a prefeitura, os estudantes passaram os últimos quatro anos apenas com uma farda entregue pela gestão passada. A distribuição dos kits escolares está sendo feita gradativamente nas unidades e deve contemplar todos os alunos da rede municipal.
"Além da economia no orçamento dos pais, que não precisam gastar com o vestuário escolar, a iniciativa também contribui para que todos sejam tratados com igualdade dentro do mesmo ambiente escolar. Estamos muito satisfeitos com a recepção dos alunos à nossa ideia dos kits escolares", explicou o prefeito Sérgio da Gameleira (PSB).
"É um sonho se realizando. Estamos entregando as camisas do fardamento, as mochilas e as pochetes para o lápis, caneta e borracha. Estamos todos muito felizes mesmo”, completou o secretário de Educação de Jequié, Roberto Gondim.

A prefeitura divulgou fotos dos estudantes com os kits escolares, mas o que chamou a atenção foi a imagem divulgada nas redes sociais de crianças muito pequenas com a mesma mochila usada por crianças de outras idades. Há ainda uma imagem que mostra a criança dentro de uma das mochilas. "Vocês que não entenderam. Mochila para crianças é na verdade mochila para guardar crianças", brincou um internauta no Facebook. Antes da divulgação da nota, o secretário Gondim usou uma rede social para defender o trabalho feito na atual gestão. "Aos críticos que estão apurando, prefiro como cidadão convidá-los para atuar em defesa de uma melhor educação para Jequié", alfinetou.
Leia a nota de esclarecimento na íntegra:
“O evento das mochilas escolares distribuídas aos alunos da rede municipal de ensino de Jequié, tão comentado na imprensa e nas redes sociais, deixa para trás desafios importantes que o próprio município terá pela frente. Os relatórios contendo os péssimos índices herdados na Educação local, que envolvem baixa matrícula, baixo IDEB, baixo IOEB e mais sério ainda: a baixa proficiência dos alunos da rede municipal de ensino.
A tarefa de recuperar estes índices começou com o aumento significativo de matrículas na rede. Mais de 4 mil novos alunos matriculados, saindo de 13 mil para mais de 17 mil novos alunos, e que precisará de uma força tarefa que envolva toda a sociedade de Jequié para melhorar os péssimos índices deixados pelas gestões anteriores. Só no IOEB (Índice de Oportunidade da Educação Brasileira), com nota 3,2, Jequié amarga o 4978° lugar entre os 5.500 municípios do Brasil. Sem contar o IDEB de 3,2 nas séries iniciais e 2,9 nas séries finais. Triste ter que afirmar que a proficiência do 9° ano em Matemática dos alunos de Jequié é de apenas 5%.
Voltando ao tamanho da sacola, se é que alguns acham isso o mais importante, segundo o Ministério da Saúde, uma criança não pode carregar mais que 10% do seu peso. Sendo assim, parece que não tem como entregar a uma criança de creche uma mochila com tamanho ideal. Acreditamos que crianças de creche, tradicionalmente, não podem e não devem carregar suas mochilas que às vezes contém roupa, toalha, fralda, merenda, etc. Ou será que estas pessoas querem afirmar que os pais de hoje não estão servindo nem pra carregar a mochila de seus filhos? Pela utilidade de uso, as mochilas compradas pelo município, ao valor de R$ 11,40, parece que o quesito economicidade e contemplação ficaram de lado, dando espaço a outros interesses.”
Tecnologia do Blogger.