Mototaxista é perseguido e morto dentro de estacionamento da Ufba - Camaçari Aquitem | O seu portal de notícias de Camaçari

Mototaxista é perseguido e morto dentro de estacionamento da Ufba

Anuncio

O mototaxista Rogério de Santana Souza, 30 anos, foi morto no estacionamento da Faculdade de Filosofia da Universidade Federal da Bahia (Ufba), na Federação, na tarde desta quinta-feira (11). Segundo a Central de Polícia, o homem foi atingido por um tiro depois que houve uma perseguição que começou no meio de Rua Professor Aristides Novis e terminou dentro do campus da Ufba, em São Lázaro.

O mototaxista Rogério de Santana Souza, 30 anos, foi morto no estacionamento da Faculdade de Filosofia da Universidade Federal da Bahia (Ufba), na Federação, na tarde desta quinta-feira (11). Segundo a Central de Polícia, o homem foi atingido por um tiro depois que houve uma perseguição que começou no meio de Rua Professor Aristides Novis e terminou dentro do campus da Ufba, em São Lázaro.
Uma vigilante viu o momento em que os homens que atiraram no mototaxista obrigaram a passageira a entrar no veículo. "Pediram pra ela descer da moto e entrar no carro. Atiraram nele aqui dentro. Eu não consegui ver muito porque até eu tive que correr", contou. 
Após o episódio, os estudantes começaram a questionar a segurança dentro da universidade. "Essas câmeras e essa segurança que implantaram aí não deram em nada", diz uma estudante que presenciou. Segundo ela, o carro fugiu no sentido do campus da Politécnica, que fica no início da Rua Aristides Novis. 
Testemunhas relataram que três tiros foram disparados, mas que o carro não entrou no campus. "Quando eu vi o cara andando armado, na mesma hora eu voltei", contou uma estudante. 
O vice-reitor da universidade, Paulo Miguez, esteve no local após o crime e afirmou que a instituição vai ceder as imagens das câmeras instaladas no campus. "Nós temos câmeras em várias áreas do campus, pra monitorar a situação de segurança. Vamos tentar recorrer às imagens para ajudar as autoridades policiais a elucidar o caso", afirmou.
Miguez também comentou o pânico dos estudantes ao ouvir os disparos. "Eventos dessa natureza deixam as pessoas em situação de desconforto, não podia ser diferente com nossa comunidade".
Tecnologia do Blogger.