Um dos assassinos de torcedor do Bahia é estudante de direito - Camaçari Aquitem | O seu portal de notícias de Camaçari

Um dos assassinos de torcedor do Bahia é estudante de direito


O estudante de direito Pietro Henrique Ferreira Caribé Pereira, de 25 anos, o Gringo, foi preso em flagrante, nesta segunda-feira, 10, identificado como um dos autores dos tiros que mataram o torcedor do Bahia Carlos Henrique Santos de Deus, 17, na noite de domingo, 9, na avenida Vasco da Gama, em Salvador. O amigo do adolescente, Isaias Souza Santos, 28, também foi baleado na ação.

A delegada Patrícia Brito, do Departamento de Homicídios, afirma que o crime foi motivado pela rivalidade entre as torcidas tricolor e rubro-negra, já que Pietro é torcedor do Vitória. A delegada informou ainda que ele é integrante  da Torcida Uniformizada Os Imbatíveis (TUI) e foi preso por ter agredido um torcedor do Bahia em 10 de fevereiro. Ele também indiciado, na ocasião, por furto, já que os pertences da vítima sumiram, mas foi solto após pagar fiança.

Pietro diz ser ex-integrante da TUI, segundo o advogado dele, Antônio Glorisman. O crime foi cometido por volta das 20h, após o clássico Ba-Vi pelo Campeonato Baiano, na Arena Fonte Nova. Pietro foi preso no início da tarde desta segunda, na casa da mãe, no  Garcia.

Conforme a delegada, Pietro  foi reconhecido por testemunhas, inclusive por Isaias, que foi baleado de raspão no pescoço. Ele teve alta do Hospital Geral do Estado na manhã desta segunda.  Carlos e Isaias  passavam a pé pelo posto Shell, quando foram surpreendidos por  torcedores do Vitória que estavam em dois ônibus e dois carros.

Carlos Henrique Santos de Deus, 17 anos, assassinado no final do Ba-Vi
Vítimas foram encurraladas


A versão da Polícia Civil dá conta de que os veículos seguiam em comboio pela Vasco. No posto, os carros foram estacionados mais à frente e os ônibus posicionados para encurralar  os torcedores que estavam a pé. Um grupo saiu dos carros em direção a Carlos e Isaias e os agrediram antes de atirar neles.

“Eles não eram os alvos. Poderia ser qualquer torcedor do Bahia. Não tinha rixa. Acreditamos que foi por serem torcedores do Bahia”, afirmou a delegada Patrícia Brito.

A polícia apura quantas pessoas participaram do crime. Até a noite desta segunda, outros três suspeitos foram identificados. Entre eles, o segundo atirador.
Tecnologia do Blogger.