Patroa se recusa a socorrer e ainda filma empregada idosa caindo do sétimo andar; vídeo - Camaçari Aquitem - O seu portal de notícias de Camaçari e RMS

Header Ads

Patroa se recusa a socorrer e ainda filma empregada idosa caindo do sétimo andar; vídeo


Uma mulher foi detida pela polícia do Kuwait após filmar a própria empregada caindo do sétimo andar de um prédio. De acordo com as investigações, tratava-se de uma tentativa de suicídio, mas, após se pendurar em uma janela, a funcionária passou a pedir ajuda da patroa. O caso começou a ser divulgado pela imprensa internacional na última sexta-feira (31), e, felizmente, a mulher de origem etíope sobreviveu à queda.

Após gravar a empregada pendurada na janela e, em seguida, sua queda, a patroa publicou e compartilhou o vídeo em uma rede social. Segundo reportagem da agência de notícias AFP, a gravação de 12 segundos mostra a empregada do lado de fora da janela, pendurada apenas por uma mão. Ela implora por ajuda: “me segura! Me segura”.

Entretanto, ao invés de ajudar a própria funcionária, a mulher que está gravando diz apenas “ah, sua louca, volta aqui para dentro”. A empregada não consegue mais se segurar, e sua mão desliza da janela. Ela acaba caindo em um toldo, que, aparentemente, suavizou o impacto. A patroa não teve nenhuma reação com a queda, a não ser continuar filmando.

A funcionária foi resgatada tempos depois e encaminhada para um hospital. Apesar de ter caído do sétimo andar, ela só sofreu sangramentos no nariz e orelha, além de ter quebrado um braço, de acordo com um jornal local. As razões que a levaram a tentar suicídio não foram divulgadas.

Investigação


A patroa foi detida por ter deixado de ajudar a funcionária. As autoridades foram acionadas na sexta-feira após a Sociedade de Direitos Humanos do Kuwait ter conhecimento do vídeo.

Os países do Golfo – Emirados Árabes, Arábia Saudita, Quatar, Bahrein, Iraque, e Irã, além do Kuwait – concentram mais de 600 mil ajudantes domésticos, sendo que a maioria vem da Ásia. Muitos empregados e empregadas reclamam de abuso de poder, maus-tratos e não pagamento de salários. O problema já fez até mesmo com que abrigos fossem criados para aqueles fogem dos patrões.

Tecnologia do Blogger.