Homem com machado fere cinco pessoas em estação de trem na Alemanha - Camaçari Aquitem - O seu portal de notícias de Camaçari

Homem com machado fere cinco pessoas em estação de trem na Alemanha

ads

Um grupo de passageiros foi ferido, ontem, após ser atacado por um homem com uma machadinha na maior estação de trem de Düsseldorf, importante centro cultural e econômico de 600 mil habitantes situado no oeste da Alemanha e nona maior cidade do país. A polícia deteve o suposto autor, que também se feriu.

A polícia afirma que por volta de cinco pessoas ficaram feridas, sem dar um número exato. Uma delas foi levada ao hospital com ferimentos graves. Segundo testemunhas, o homem atacou dois passageiros em uma composição parada e um número indeterminado em uma plataforma. Na sequência, dizem, o autor fugiu pela linha do trem e teria pulado de um viaduto a metros do terminal. O suposto autor foi preso em ruas próximas ao local do ataque, com cortes e outros ferimentos provocados pela queda - e foi levado para um hospital em estado grave.

Feridos


O porta-voz de polícia de Düsseldorf, Rainer Kerstiens, disse que investiga a ligação de outras pessoas com a ação, embora não haja indicação disso. Também não há, segundo Kerstiens, evidências da motivação do autor, embora eles não considerem até o fechamento desta publicação se tratar de um ataque terrorista. Ele também não deu detalhes sobre a identidade do suspeito. Centenas de policiais fortemente armados cercaram e ocuparam a estação, que foi esvaziada e teve a circulação de trens interrompida. As composições que deveriam chegar ao terminal foram desviadas.

Segundo a BBC, esta estação serve todos os dias cerca de 250 mil passageiros. Um repórter da revista Der Spiegel relatou no Twitter que várias pessoas ficaram feridas deitadas no chão. A Alemanha foi alvo de um atentado terrorista em Berlim antes do Natal, em que morreram 12 pessoas, mas em Düsseldorf a polícia recusa falar em atentado. "Não estamos usando palavras tumulto ou terror", disse um porta-voz da polícia alemã à Reuters.
Tecnologia do Blogger.