Casal é preso após criar 'agência' de moda para estuprar jovens em ritual satânico - Camaçari Aquitem | O seu portal de notícias de Camaçari

Casal é preso após criar 'agência' de moda para estuprar jovens em ritual satânico

Anuncio

Um casal foi preso por criar uma falsa agência de modelos para aliciar jovens para a prática de rituais satânicos, em Porto Velho. Segundo a Delegacia de Atendimento à Mulher (Deam), o homem de 34 anos e a mulher, de 21, atraíam as vítimas até um motel para ameaçá-las e estuprá-las sobre uma estrela desenhada no chão, ao lado de velas pretas. Pelo menos quatro vítimas, duas delas adolescentes, registraram boletim de ocorrência policial contra a dupla.

De acordo com a delegada Marcia Gazoni, o casal atraía as jovens de duas maneiras, por uma falsa agência de modelos e também uma agência de empregos de fachada.

"Uma das vítimas narrou que havia sido contatada para realizar um serviço e quando foi até as pessoas que entraram em contato, ela foi rendida, levada para um motel e abusada sexualmente", explicou a delegada.

A delegada conta que as vítimas primeiro se encontravam com a mulher em um local público e depois eram levadas de moto ou carro para outro local em que o homem já as aguardava. No endereço, as vítimas eram encapuzadas, ameaçadas e levadas para um motel onde eram estupradas.

Conforme a delegada Janaína Xander, que também participou das investigações, os criminosos realizavam rituais satânicos durante o estupro.

"As vítimas disseram que eles faziam uma estrela no chão do quarto, acendiam uma vela preta e depois eram abusadas pelo homem. A mulher não participava do estupro, mas as despia e ameaçava. Apesar do criminoso ser casado com outra pessoa, ele mantinha um relacionamento com a outra", conta a delegada.


Objetos utilizados pelos criminosos durante os crimes foram apreendidos pela Deam. "A prisão dos criminosos ocorreu na manhã desse sábado (4), ele em Porto Velho e a mulher em Candeias do Jamari. Na casa deles foram localizados os capacetes, uma motocicleta, uma corda, giz, velas prestas, canivete e bolsas usadas por eles no dia do crime. Eles utilizavam as velas e os demais objetos para fazer algum tipo de reza, oração ou até invocação", diz a delegada.

Conforme Caroline, a delegacia acredita que podem surgir novas vítimas com o caso vindo à tona. "Caso alguém souber de alguma pessoa que tenha passado por situação semelhante, pedimos que entrem em contato com a Deam e denuncie o caso."

Os criminosos presos foram levados para os presídios de Porto Velho e negam os crimes. O mandado de prisão foi expedido por um juiz. A Deam tem 10 dias para concluir o inquérito.

Um dos registros de ocorrência de estupro, segundo a polícia, foi feito em janeiro e o último no dia 25 de fevereiro, quando iniciaram as investigações.
Tecnologia do Blogger.